Para você saber....

Meu nome é saphira, moro no brasil SC, e sou blogueira a mais de 3 anos, curto sim jrock mais não discrimino nenhum estilo musical.
Aqui eu procuro mostrar um pouquinho de tudo que gosto e respeito.
Espero que gostem.....


sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Dredes

Existem várias formas de se "dredar" o cabelo, as três mais freqëntes são:

TRADICIONAL
Este é o meio mais difícil de se fazer dreads, exige muita dedicação e o resultado costuma não se equiparar com o que se obtém através das outras formas. É recomendado que se tenha o cabelo pichaco característico do negro africano, outros cabelos dificilmente manterão a forma. O Processo consiste em não lavar o cabelo com shampoo ou qualquer outro produto que possa alisar os cabelos, e a medida que cresce ir enrolando o cabelo com a palma das mãos formando os dreads. Este é o método utilizado pelos Rastafari, não é muito recomendado pois torna-se difícil mantê-los limpos e os dreads ficam sempre com uma aparência de sujos.
Para quem é negro e tem cabelo crespo tem um opção de enrolar o cabelo no modelo Baião-de-Dois e depois separar os dois. O resultado será o dread que com o tempo ficar mais grosso. É necessário ter cuidado e sempre está separando os dreads


COM CERA
Este é seguramente o mais utilizado nos dias de hoje, funciona com qualquer tipo de cabelo. É necessário que o cabelo já tenha um certo comprimento, em torno de 10cm, mas recomenda-se mais. O processo consiste em dividir o cabelo em setores de cerca de 2cm, e pentear cada setor da ponta para a raíz com um pente de ferro visando embolar os cabelos. Depois de embolados todos os dreads aplica-se cera de abelha para fixa-los. Uma manutenção frequente torna-se necessária para que os cabelos não soltem, que consiste em aplicar cera periodicamente e enrola-los com a palma da mão.


COM AGULHA/LÃ
Este processo é muito dolorido, mas resulta em dreads mais compactos e limpos. Divide-se o cabelo e penteia-se da ponta à raiz, como no processo com cera. Daí "costura-se" o cabelo com uma agulha de crochê. Algumas pessoas depois disso ainda aplicam a cera. Uma manutençào frequente é muito recomendada, que consiste em re-costurar os cabelos com a agulha quando soltam alguns fios e enrola-los com a palma das mãos.
. A lã serve para "encrementar" o dread já que ela pode ser usada quando se estiver trançando ou apos o dread estar pronto.



Existem também as tranças:



NAGÔ

A trança nagô é feita junto ao couro cabeludo e permite a criação de vários desenhos. Poe ser feita até a metade da cabeça ou na cabeça inteira, com o cabelo natural e com aplicação de outros fios, naturais e artificiais. ¿Há muitas possibilidades desenho. O melhor é aquele que combina com a anatomia da pessoa.
A escolha certa deve levar em conta as forma da cabeça, a quantidade de cabelo e as falhas no crescimento do cabelo de cada um.
Para manter, é permitido molhar, mas são necessários alguns cuidados na hora de dormir e na lavagem. Não pode ser lavada todo dia e quando for lavar, tem que usar uma touca de meia para proteger a trança
A touca feita com um pedaço de meia calça cortada é a melhor opção para o banho. É bom e barato.
Para dormir, também pode ser usada outra touca no mesmo estilo, um lenço ou redes para proteção de penteados. Evita que os fios se soltem e o cabelo fique com aspecto bagunçado. A secagem também merece atenção e pode ser acelerada com um secador na temperatura fria.


NAGÔ INVERTIDA
A trança nagô invertida começa a ser trançada pela nuca e termina na testa. É ideal para quem não tem cabelos compridos. O resultado é um penteado romântico, com estilo anos 20, onde as trancinhas pendentes ao longo do rosto são um charme a mais.
O procedimento é o mesmo. As mechas devem ser separadas de acordo com a espessura desejada e trançadas uma a uma até terminar

TERÊRÊ

Os tererês são apliques de linhas e miganças colorida sobre uma trança de cabelo natural. O material necessário é uma tesoura, linhas coloridas, que podem ser fios médios de crochê ou lã,miçanças e um elástico ou silicone pequenos para prender o cabelo. Quanto mais fino o fio, maior deve ser o seu comprimento para cobrir toda a trança.


O que define o resultado dos processos porém é a manutenção. Costuma-se dizer que os dreads ficam bons quando "travam", ou seja, quando não é mais possível solta-los. É recomendado lavar os cabelos regularmente com shampoo sem resíduos ou sabonete de coco, e depois seca-los muito bem com secador e ao sol. Deve-se atentar para o mau cheiro, que indica a presença de fungos. O comprimento costuma reduzir 20% em cabelos encaracolados depois de aplicados os dreads. A redução é bem maior em cabelos lisos.
Dreadlock não se faz, cultiva-se.Para ter dreads inclui ter cuidados com a manutenção e entender o que significa o penteado, uma forma de afirmação da identidade negra e da cultura africana. Antes de tudo é preciso ter paciência, não é da noite para o dia que os dreads ficam prontos.
Para começar um dread, é preciso separar o cabelo seco em mechas e ir enrolando. A espessura de cada dread e a direção de cada cacho é o que vai definir o caimento. A aplicação de cera de abelhas ajuda a aglutinar os fios e é necessária no início e, principalmente, para cabelos lisos e finos. Os cabelos crespos não necessitam tanto de cera.
Na medida em que os cabelos crescem, é preciso estar sempre enrolando os novos fios. É preciso buscar a raiz, separar os cachos ir enrolando e juntando. Uma tesourinha é fundamental para separar os cachos embolados.
Quem pensa que dread é sinônimo de sujeira e mau cheiro, está enganado. O cabelo pode ser lavado normalmente e até mesmo óleos hidratantes podem ser aplicados na raiz. É na secagem que é preciso ter um cuidado especial, o secador na temperatura fria é um aliado para evitar que a umidade prejudique a saúde dos fios. Tem que ter consciência de que o cabelo demora mais a secar. Quem precisa da cera para fixar os dreads, deve renovar as aplicações depois de cada lavada


AÇÃO NOCIVA

Sol, vento, praia e piscina são inimigos dos dreads e das tranças nagô. A exposição excessiva pode comprometer a saúde dos fios, ressecá-los e até rompê-los. O dread pode 'quebrar'.
Sempre que o cabelo for molhado no mar e na piscina, os cuidados na lavagem devem ser redobrados. O sal e o cloro não devem ficar impregnados nos fios, por isso é preciso lavar e enxaguar bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário